Melhores comunicações orais

C008ID: 6444764 - 2017-11-03
TítuloAVALIAÇÃO DA CARGA TUMORAL TOTAL POR OSNA DO GÂNGLIO SENTINELA NO CANCRO DA MAMA – ANÁLISE DE 6 ANOS DE CIRURGIA NO HESE
AutoresA. Machado, R. Félix, S. Ribeiro, J. Patrício, A. Silva, J. Caravana
HospitalHospital Espírito Santo, EPE - Évora

Objectivo/Introdução
No tratamento de doentes com cancro da mama, a avaliação da da quantidade cópias de mRNA de ck19 nos gânglios sentinelas por “One Step Nucleic Acid Amplification” (OSNA) premite a avaliação da carga tumoral total (CTT) nesses gânglios. É já conhecido a relação entre a CTT dos gânglios sentinelas e um envolvimento axilar. O objectivo deste trabalho é realizar uma avaliação retrospectiva de doentes operados a cancro da mama no nosso centro entre 2011 e 2016 submetidos a análise do gânglio sentinela por OSNA e com resultado positivo, assim como, a análise do “cuttoff” da CTT preditivo de um envolvimento axilar.

Material e Métodos
Análise observacional por registos do processo único do doente. Análise estatística realizada com IBM SPSS Statistics 20.

Resultados
No período de 6 anos, no HESE foram operados 84 novos casos de cancro da mama em que a avaliação de gânglio sentinela por OSNA foi positiva para metástases. No “follow-up” realizado até Setembro de 2017, detectado metastização em 2 doentes e morte de 4 doentes. A sobrevivência global aos 5 anos e a livre de doença foi de 93%. Realizado modelo de curva ROC obtendo uma área abaixo da curva de 0,71 (p=0,007). Para um “cutoff” >15000 cópias de CTT a sensibilidade foi de 90% e especificidade de 45%, o valor preditivo negativo para metástases nos gânglios não sentinelas foi de 88%.

Discussão
Os nossos resultados demonstram que a avaliação da CTT poderá ser útil na decisão de realizar esvaziamento axilar após a análise dos gânglios sentinelas por OSNA.

C014ID: 4658568 - 2017-11-11
TítuloA abordagem transanal na patologia rectal benigna e maligna
AutoresAntónio Manso, Ana Oliveira, Manuel Rosete, Miguel Fernandes, Alexandre Monteiro, Julio S Leite
HospitalCentro Hospitalar Universitário Coimbra

Objectivo/Introdução
A exérese total do mesorecto por abordagem transanal (taTME) minimamente invasiva tem permitido ultrapassar as dificuldades técnicas na dissecção pélvica distal. Pretendeu-se avaliar os resultados clínicos e oncológicos desta técnica utilizada em patologia rectal benigna e maligna.

Material e Métodos
Estudo prospectivo de todos os doentes operados com esta técnica num centro cirúrgico para avaliação da morbilidade e da qualidade anátomo-patológica das peças cirúrgicas.

Resultados
Entre Outubro 2013 e Setembro de 2017 foram operados 33 casos, 28 por neoplasia rectal, 3 com polipose familiar e 2 por colite ulcerosa. A idade média foi de 56 anos, sendo 20 do sexo masculino. As neoplasias localizavam-se em média a 3 cm (0,5-7cm) da linha dentada e em 52% dos casos a abordagem foi interesfinctérica, utilizando-se em todos o Gelpoint. A peça foi excisada por via transanal em 31 casos com anastomose manual em 17 e mecânica em 16. Ocorreu uma lesão do ureter no início da série, corrigida intraoperatoriamente; 3 suboclusões que foram resolvidas medicamente e 1 abcesso pélvico com drenagem percutânea. O internamento pós-operatório médio foi de 9 dias (4-30). O mesorecto considerou-se incompleto em 2 casos (7,1%) e num (3,5%), existiu invasão da margem circunferencial e distal (< 1mm).

Discussão
Os resultados desta série sugerem que a taTME é uma técnica eficaz e oncologicamente segura em neoplasias rectais baixas, bem como em patologia benigna, destacando-se ser necessário maior follow-up e uma aprendizagem bem estruturada.

C029ID: 1204942 - 2017-11-15
TítuloTransplante hepático por hepatocarcinoma em cirrose: a expressão combinada de dois genes é superior aos indicadores clínicos na previsã ...
AutoresHugo Pinto Marques(1), Joana Cardoso(2), Marta Mesquita(2), Mafalda Sobral (1), Silvia Silva (1), Tânia Almeida (1), João Aniceto (1), José Pereira Leal (2), Eduardo Barroso (1)
HospitalCentro Hospitalar Lisboa Central

Objectivo/Introdução
Os actuais critérios de seleção de doentes para transplante hepático (TH) por Carcinoma Hepatocelular (CHC) excluem muitos doentes que podem beneficiar do TH, o que ilustra a necessidade de novos critérios baseados no uso de biomarcadores. Os autores avaliam a eficácia de uma combinação de dois genes na seleção de doentes para TH por CHC em cirrose.

Material e Métodos
Através de uma revisão sistemática da literatura, foram seleccionados 16 genes cuja expressão foi estudada em doentes transplantados por CHC em cirrose entre setembro de 1992 e fevereiro de 2014, num grupo piloto (GP) e posteriormente num grupo de validação (GV). Os dados da expressão genética foram correlacionados com os dados clínico-patológicos da população e a sobrevivência.

Resultados
Foram estudados um total de 180 doentes (GP: 26; GV: 154). A expressão de dois genes específicos associou-se de forma independente a diminuição da recidiva (Gene X, OR 0.177, p=0.001; Gene Y: OR 0.385, p=0.043). Nos doentes com expressão combinada dos dois genes, a sobrevivência livre de doença foi de 78% aos 5 anos, independentemente da presença de critérios de mau prognóstico conhecidos, como a invasão vascular ou o grau de diferenciação.

Discussão
Os biomarcadores moleculares são o futuro do TH por CHC. Apresentamos os resultados preliminares de uma combinação de genes que é simultaneamente simples, reprodutível, e que obtém resultados iguais ou superiores a outras assinaturas genéticas mais complexas previamente publicadas.

C031ID: 3927935 - 2017-11-15
TítuloSegunda utilização de um fígado "Dominó": Relato dos primeiros dois casos a nível mundial.
AutoresHugo Pinto Marques, Sílvia Silva, Tânia Almeida, Sofia Carrelha, Jorge Lamelas, Vasco Ribeiro, Emanuel Vigia, Luís Bicho, Ana Marta Nobre, Edite Filipe, Raquel Mega, Jorge Paulino, Américo Martins, Eduardo Barroso.
HospitalCentro Hospitalar Lisboa Central

Objectivo/Introdução
O transplante hepático sequencial ou em \"dominó\" é uma alternativa para a escassez de órgãos. Muitos doentes transplantados com um fígado com Polineuropatia Amiloidótica Familiar (PAF) desenvolvem posteriormente PAF adquirida, necessitando de retransplante. A segunda utilização de um fígado PAF, após o retransplante, nunca tinha sido até agora proposta.

Material e Métodos
Doente 1: 43 anos, com CHC multicêntrico em fígado não cirrótico. Após laparotomia de \"staging\" que exclui doença extra-hepática, é proposto para TH para utilizando o fígado de um doente com PAF iatrogénico. Doente 2: Doente de 63 anos com CHC em cirrose viral C, já submetido a quimioembolização. Ressecção de tumor do urotélio em Maio de 2015. Proposto para TH sequencial com fígado de doente com PAF iatrogénico.

Resultados
Doente 1: TH 29-12-2015, com fígado de dador PAF com 60 anos, transplantado inicialmente em receptor com cirrose etanólica em Novembro de 2007, agora com PAF adquirida. Duração de 6 horas, alta ao 15º dia. Livre de doença até Junho de 2016, desde aí com recidiva pulmonar sob sorafenib com boa qualidade de vida. Doente 2: TH 30-10-2017 com fígado de dador PAF previamente transplantado em receptor com cirrose etanólica e CHC em 2008, posteriormente com PAF adquirida. Duração de 5 horas, ainda internado e sem intercorrências.

Discussão
A segunda utilização de um fígado PAF já transplantado é possível e é uma alternativa em doentes com indicação limite para transplante. Reportamos os dois primeiros casos a nível mundial.

C090ID: 3023365 - 2017-11-18
TítuloAdopção da cirurgia robótica no cancro do recto - quais os resultados a curto prazo?
AutoresPedro Vieira, Hugo Domingos, José Filipe Cunha, Amjad Parvaiz, Nuno Figueiredo
HospitalFundação Champalimaud

Objectivo/Introdução
A Excisão Total do Mesorecto (ETM) precisa, consistente e reprodutível é o factor mais importante para os resultados pós-operatórios independentemente da abordagem aberta, laparoscópica ou robótica.  Objectivo: comparar os resultados a curto prazo dos doentes com cancro do recto submetidos a ETM robótica e laparoscópica. 

Material e Métodos
Estudo prospectivo dos primeiros 25 doentes consecutivos submetidos a ETM robótica, desde Maio 2016. Comparação (1:2) com os últimos 50 doentes consecutivos submetidos a ETM laparoscópica. Características demográficas, clinicas e resultados a curto prazo foram analisados, utilizando GraphPad PRISM ver6.0 na analise estatística.  Teste χ2 ou de Fisher para as variáveis categóricas, teste U de Mann-Whitney para as contínuas.  P <0.05 foi considerado estatisticamente significativo.

Resultados
Características demográficas, estadiamento e neoadjuvância foram idênticas nos 2 grupos.  Na ETM robótica o tempo operatório foi mais longo (260 vs 215min; p=0.001), o nº de gânglios excisados foi superior (26 vs 18; p=0,0032) e o tempo de internamento foi inferior (5d vs 7d; p=0,0072). Não houve diferença na morbilidade peri-operatória (Clavien-Dindo>2 2 vs 7; p=0,65), deiscência anastomótica (0 vs 2; p=0,148), necessidade de re-intervenção (2 vs 4;p=0,3916), nem qualidade do mesorecto (completo 22 vs 46; p=0,7914). 

Discussão
ETM robótica permite uma recuperação mais rápida, menor tempo de internamento e morbilidade idêntica. Resultados oncológicos a médio/longo prazo permanecem por esclarecer.

C235ID: 1691987 - 2017-11-19
TítuloRelevância da 8ª edição da classificação TNM da AJCC no carcinoma gástrico
AutoresMariana Peyroteo, Pedro C. Martins, Rita Canotilho, Alexandre Sousa, José Pedro Silva, Donzília Brito, Lúcio Santos, Abreu de Sousa
HospitalInstituto Português Oncologia do Porto Francisco Gentil, EPE

Objectivo/Introdução
A 8ª edição da classificação da AJCC do carcinoma gástrico introduz mudanças sobretudo no estádio III, com a incorporação da subclassificação do pN3 no estádio final. Comparou-se a 7ª com a 8ª edição para avaliar a sua capacidade em estratificar doentes com prognóstico distinto.

Material e Métodos
Revisão retrospetiva dos doentes com carcinoma gástrico tratados cirurgicamente em 2013 e 2014.

Resultados
Incluíram-se 310 doentes, idade média de 65 anos, 55.5% homens. A gastrectomia subtotal foi realizada em 51% (n=158) dos casos, a mediana de gânglios removidos foi de 30. O follow up mediano foi de 39.5 meses. Aos 48 meses a sobrevivência global (SG) foi 59% e a específica de doença (SED) de 65%. No estadio III (n=115) observou-se migração de estadio em 40 casos (34.8%), (upstage em 11 e downstage em 29). Neste estadio observamos diferenças significativas na SG e SED entre os doentes N3a e N3b (p=0.002 e p<0.001 respetivamente). Apenas com a 8ª edição observamos diferenças significativas na SG entre os estadios IIIA, IIIB e IIIC (p=0.001). Na análise multivariada, os fatores independentes de prognóstico foram o número de gânglios metastizados e o crescimento extra-capsular (p=0.024 e p=0.033).

Discussão
A 8ª edição da AJCC permite refinar o prognóstico, nomeadamente nos novos subgrupos do estádio III com a estratificação da doença ganglionar em N3a e N3b. Continuam excluídos fatores que avaliam o comportamento biológico como a extensão extra-capsular que, na nossa análise, teve impacto prognóstico.