Melhores Posteres

P007ID: 1326878 - 1970-01-01
TítuloABCESSO INTRA-ABDOMINAL E CARCINOMA COLO-RECTAL, A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO
AutoresMarisa Tomé (1), Luís Ferreira (1), Maria João Koch (1), Luís Ventura (2), Mónica Martins (1), Gorete Jorge (1), F Castro e Sousa (1)
HospitalCentro Hospitalar e Universitário de Coimbra, EPE

Objectivo/Introdução
Os abcessos intra-abdominais e as massas ováricas exigem que sejam equacionados vários diagnósticos diferenciais. Relata-se um caso de Cancro Colo-Rectal (CCR) com apresentação incomum.

Material e Métodos
Mulher de 76 anos, internada por Pielonefrite Aguda Obstrutiva; colocado Cateter Duplo J. Por agravamento analítico, pedida TC-AP: cólon sigmóide com espessamento parietal, abcesso peri-cólico volumoso, colecção pélvica - suspeita de diverticulite aguda perfurada.

Resultados
Submetida a laparotomia exploradora: abcesso envolvendo o ovário direito (necrosado) e espessamento cólico atribuído a processo inflamatório adjacente sem aparente perfuração intestinal. Anexectomia e drenagem abdominal (suspeita de DIP/tumor ovárico). Clister opaco pós-operatório (PO): escassa progressão de contraste na transição recto-sigmóide, sem fístulas. Alta ao 10º dia. Enviada ao Serviço de Urgência no 19º dia PO: anorexia, astenia, febre, dor abdominal. Leucocitose. TC-AP: abcessos pélvicos. Disponibilizada histologia da peça de anexectomia: Metástase Ovárica de Adenocarcinoma Colo-Rectal. Realizada Operação de Hartmann e drenagem abdominal. Alta ao 10º dia. Iniciará QT adjuvante.

P007ID: 1455411 - 1970-01-01
TítuloSíndrome de Bouveret - caso raro e de elevada mortalidade
AutoresBentes, N; Alves, Magda; Correia, P; Salgueiro Antunes, T; Caseiro, A; Rodrigues, F.
HospitalHospital de Vila Franca de Xira

Objectivo/Introdução
A Síndrome de Bouveret acompanhada da tríade de Rigler representa 1 a 4% das obstruções intestinais mecânicas, podendo no entanto ser responsável até 25% dos casos, em faixas etárias superiores. Em menos de 10% dos doentes com íleus biliar, a localização do cálculo impactado é o duodeno ou piloro, o que resulta numa obstrução ao esvaziamento gástrico e conhecido por síndrome de Bouveret. Apresentamos um caso de uma doente de 82 anos admitida no hospital por quadro clínico de oclusão intestinal alta com instabilidade hemodinâmica. Após estabilização, esta foi submetida a exames complementares de diagnóstico que revelaram presença de cálculo biliar a nível do bulbo duodenal e fístula colecisto-duodenal. Esta doente tinha, como antecedentes relevantes episódio semelhante de oclusão. Realizou endoscopia digestiva alta (EDA) na tentativa de resolução do quadro por via endoscópica. Aquando da realização da EDA não foi possível localizar o cálculo acabando por, mais tarde, ser submetido a enterotomia com remoção do cálculo justa válvula ileo-cecal.

Material e Métodos
NULL

Resultados
NULL

P045ID: 2922962 - 1970-01-01
TítuloEndometriose cólica - A propósito de um caso clínico
AutoresCatarina Góis, Nuno Carvalho, Filipa Passos, Luís Galindo, João Corte Real
HospitalHospital Garcia de Orta, EPE

Objectivo/Introdução
Endometriose define-se pela presença de estroma e de glândulas endometriais em localização extra-uterina. Pensa-se que pode ocorrer entre 1 a 7% das mulheres. Normalmente, situa-se na pélvis, mas pode ser encontrada em qualquer parte do corpo. O envolvimento rectovaginal ou cólico, ocorre entre 5 a 12% dos casos, sendo a transição rectosigmóide o local mais frequente afectado. Os sintomas gastrointestinais não são específicos, podendo se manifestar como diarreia, obstipação, dor abdominal e, em casos raros, obstrução. Assim sendo, o diagnóstico diferencial é diverso, podendo ir desde a doença inflamatória intestinal, diverticulite, síndrome do intestino irritável e neoplasia. O tratamento pode passar pela cirurgia, com dissecção pélvica extensa ou ressecção de intestino. Os autores, apresentam um caso clínico de uma mulher de 38 anos, que se dirigiu à urgência com um quadro de dor abdominal nos quadrantes inferiores, diarreia e vómitos. Foi internada com o diagnóstico de abcesso tubo-ovárico à esquerda. Foi operada, e constatou-se quadro inflamatório extenso do sigmóide e anexo esquerdo, com peritonite localizada. Suspeitou-se inicialmente de um quadro de diverticulite aguda, no entanto no meso-sigmóide estava presente uma parede quística, com conteúdo acastanhado/hemorrágico que nos fez suspeitar de endometriose. Devido ao grande processo inflamatório e aderêncial envolvente, a doente foi submetida sigmoidectomia com colostomia na fossa ilíaca esquerda.

Material e Métodos
NULL

Resultados
NULL

P045ID: 8690163 - 1970-01-01
TítuloCasuística do Serviço sobre Radiofrequência de Lesões Hepáticas
AutoresMariana Costa, Tiago Fonseca, Vera Oliveira, Marta Guimarães, Florinda Cardoso, Pedro Rodrigues, Gil Gonçalves, Mário Nora
HospitalCentro Hospitalar Entre Douro e Vouga, EPE

Objectivo/Introdução
A ablação de tumores hepáticos primários e metastáticos é um método efetivo na destruição de células tumorais, destacando-se a radiofrequência (RF) como a modalidade utilizada pela maioria das instituições. A resseção é o tratamento standard para a doença hepática, mas pode não ser possível quer por o doente não apresentar condições cirúrgicas, as lesões serem irressecáveis, o fígado remanescente ser insuficiente ou o doente apresentar múltiplas cirurgias hepáticas prévias. A RF pode ser ponte para o transplante, como no hepatocarcinoma.

Material e Métodos
Os autores demonstram a experiência com RF na Instituição. Trata-se de um estudo retrospetivo com 31 doentes (35 sessões), realizadas entre 01/2010 e 06/2015.

Resultados
A média de idade foi 64,9 ±13,6. Em 54,5% (18) foi detetado estadio IV inicialmente, sendo que em 10, o fígado era o único local de metastização. Em 32 % foi possível uma cirurgia síncrona hepática como abordagem inicial, funcionando a RF como complemento intra-operatório em 6 destas. As lesões hepáticas radiofrequentadas mediam entre 10-30mm. A mesma lesão foi radiofrequentada em 4 doentes (12% de falência técnica). A taxa de complicações foi de 28% (5 abcessos, 1 hemorragia e 1 biloma).Verificou-se uma sobrevida média de 13 meses após radiofrequência neste estudo.

P060ID: 1558045 - 1970-01-01
TítuloMetástase cerebral isolada e neoplasia do cólon - caso clínico
AutoresGabriela Machado, Mikhail Costa, Sandra Carlos, Rui Cardoso, Luis Galindo, Pedro Moniz Pereira, António Folgado, João Corte Real
HospitalHospital Garcia de Orta, EPE

Objectivo/Introdução
As metástases cerebrais são os tumores cerebrais mais frequentes. Ocorrem mais frequentemente nos tumores do pulmão, mama, testículo e melanoma e raramente têm origem nos tumores gastrointestinais. Constituem invariavelmente um sinal de mau prognóstico.

Material e Métodos
NULL

Resultados
Os autores apresentam um caso raro de uma doente submetida a hemicolectomia direita por adenocarcinoma mucinoso do cólon direito, a quem foi diagnosticada um ano depois uma metástase cerebral, sem evidência de outros focos de secundarização.

P060ID: 1701784 - 1970-01-01
TítuloLeiomioma do cárdia com 15 cm ? forma rara de apresentação
AutoresMarques, Ricardo R.; Rafael, Ana A.; Xió, Carlos; Fernandes, Luis V.
HospitalCentro Hospitalar de Lisboa Ocidental, EPE

Objectivo/Introdução
Introdução: Os leiomiomas são tumores benignos do tubo digestivo, de localização submucosa, outrora classificados como tumores mesenquimatosos.

Material e Métodos
Material e Métodos: Caso clínico.

Resultados
Resultados: Homem, 42 anos, que recorre ao Serviço de Urgência por hemorragia digestiva alta com repercussão hemodinâmica. Fez Endoscopia Digestiva Alta que revelou volumosa lesão da submucosa da transição esófago-gástrica, ulcerada. Foi internado após estabilização hemodinâmica, para cirurgia electiva. O diagnóstico histológico revelou volumoso leiomioma submucoso do cárdia envolvendo o fundo gástrico, com 15 cm.

P085ID: 5262937 - 1970-01-01
TítuloGastrectomia Vertical no Tratamento da Obesidade Mórbida - Resultados de uma Série de 963 Doentes
AutoresFrança, N.; Marques, P.; Chiado, A; Chiado, C; Nunes, J.; D´Almeida, J.; Almeida, J
HospitalCentro Hospitalar de Lisboa Norte, EPE

Objectivo/Introdução
Introdução: O tratamento cirúrgico da Obesidade tem sido encarado, nos últimos anos, como uma poderosa arma de combate a um flagelo da sociedade moderna. Para além de actuar no controlo de peso, a terapêutica cirúrgica desta doença consegue também bons resultados no tratamento de comorbilidades associadas, melhorando assim a qualidade de vida dos doentes. Objectivo: Avaliar os resultados obtidos por 963 doentes com gastrectomia vertical, operados por uma equipa dedicada à Obesidade Mórbida.

Material e Métodos
Material e Métodos: Estudo observacional retrospectivo de 963 doentes com Obesidade Mórbida tratados cirurgicamente com gastrectomia vertical. Análise descritiva e tratamento estatístico.

Resultados
Resultados: Apresenta-se os resultados obtidos no tratamento da obesidade com gastrectomia vertical incidindo na seriação de dados de Peso e Índice de Massa Corporal e Percentagem de Peso Perdido. O tamanho e recuo temporal da série permite analisar resultados com 5 anos de terapia cirúrgica. São ainda apresentadas complicações e causas de falência terapêutica.

P085ID: 1122291 - 1970-01-01
TítuloA RESPOSTA À TERAPIA NEOADJUVANTE AFECTA O OUTCOME NO ADENOCARCINOMA DO RECTO?
AutoresFerreira J, Peyroteo M, Queirós T, Esteves J, Tavares A, Costa E, Pereira B, Cardoso JM, Gandra L, Maciel J
HospitalCentro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE - Unidade II

Objectivo/Introdução
A Terapia Neoadjuvante (TNA) apresenta resultados estabelecidos no downstaging do adenocarcinoma do recto (AR). Estudos revelam menos risco de recidiva com a realização de TNA com quimiorradioterapia (QRT), mas não revelam diferenças na sobrevida global Objectivo: Avaliar factores que afectam a resposta à TNA e o impacto da mesma na sobrevida no AR

Material e Métodos
Estudo retrospectivo de doentes submetidos a TNA por AR, seguidos entre 2010-2014.Análise estatística com SPSS, com intervalos de confiança95%

Resultados
De 2010-2014, 59 doentes realizaram TNA por doença localmente avançada (AR médio/baixo, cT3/4 ou cN+). Verificou-se uma resposta patológica completa (pCR) em 17.5% e downstaging em 63.2%. Não se comprovou que a resposta à TNA fosse afectada por factores dependentes do doente ou da neoplasia. Os doentes que obtiveram resposta favorável com a TNA (pCR ou downstaging) apresentaram o dobro do tempo livre de doença (32 vs 15 meses; p=0.021) e uma melhor taxa de sobrevida livre de doença a 1, 3 e 5 anos, em comparação com os doentes sem resposta à TNA (93.5%, 86.1% e 86.1% vs 63.7%, 33.9% e 33.9%, respectivamente; p=0.001).No entanto, não se observou relação estatisticamente significativa entre a resposta à TNA e a mortalidade e a sobrevida global

P094ID: 1877421 - 1970-01-01
TítuloESOFAGECTOMIA COM INTERPOSIÇÃO CÓLICA NA SUBSTITUIÇÃO ESOFÁGICA POR ESTENOSE CÁUSTICA
AutoresAntónio M. Gouveia, John Preto, Marisa Aral, Ana Beatriz Almeida, Ana Fareleira, Manuela Baptista, José Barbosa, J. Costa Maia
HospitalCentro Hospitalar de São João, EPE

Objectivo/Introdução
Os doentes com estenose cáustica do esófago necessitam frequentemente de tratamento cirúrgico. As alternativas cirúrgicas são diversas e diferem quanto à abordagem operatória e realização de esofagectomia, ao tipo de plastia utilizada e via de colocação da mesma.

Material e Métodos
Descrição do caso clínico

Resultados
Doente masc., 41 anos de idade, admitido com diagnóstico de estenose cáustica do esófago proximal, resultante de ingestão voluntária de ác. sulfúrico cerca de 1 ano antes. Inicialmente tratado noutra instituição, viria a desenvolver (~ 5 meses) disfagia grave, por estenose punctiforme aos 20 cm, com uma extensão longitudinal de 7 cm. Foram efetuadas dilatações endoscópicas, com mau resultado funcional, e colocou prótese esofágica para recuperação ponderal (perda de ~40 Kg). Foi submetido a "esofagectomia quase total e gastrectomia proximal, por via torácica direita e abdominal, com interposição de segmento isoperistáltico de cólon esquerdo e anastomose esófago-cólica cervical. Na presente data, o doente apresenta franca recuperação ponderal.

P094ID: 1600084 - 1970-01-01
TítuloDiverticulite do colon direito, um desafio diagnóstico
AutoresMendonça, Nuno; Caetano, Zara; Além, Hélder; Ferreira, Carlos; Patrocínio, Sara; Tomé, Miguel; Caldeira, Filipa; Neves, Janeiro
HospitalCentro Hospitalar Barreiro Montijo, EPE

Objectivo/Introdução
A doença diverticular do colon é uma patologia frequente no mundo ocidental. Contudo a sua apresentação no cólon direito é rara, representando apenas 15% de todos os casos de diverticulite aguda. O seu diagnostico é muitas vezes descurado pela sua raridade e pelos diagnósticos diferenciais mais comuns que cursam com dor nos quadrantes direitos do abdómen.

Material e Métodos
NULL

Resultados
NULL

P115ID: 5728217 - 1970-01-01
TítuloEstou deprimida?
AutoresInês Guerreiro (1); Ana Cristina Alves (1); João Abrantes (2); José Neves (1)
HospitalCentro Hospitalar Barreiro Montijo, EPE

Objectivo/Introdução
Megaesófago resultante de acalásia é raro, mas uma causa severa de obstrução da via aérea. Os autores apresentam o caso clinico de uma jovem de 26 anos, que anteriormente a sua admissão na urgência era seguida na consulta de Psiquiatria por transtorno alimentar.

Material e Métodos
Doente admitida no serviço de urgência com queixas de dificuldade respiratória e tratada com o diagnostico de obstrução da via aérea severa e edema da epiglote, que condicionou falência respiratória. Após o diagnóstico imagiológico de megaesófago, confirmou-se por estudo endoscópico tratar-se de acalásia.

Resultados
Melhoria sintomática após terapêutica cirúrgica laparoscópica, estando actualmente sem queixas.

P115ID: 2455505 - 1970-01-01
TítuloIntussusceção ileocólica no adulto
AutoresPedro Soares-Moreira, Pedro Nuno Brandão, Gil Faria, Isabel Mesquita
HospitalCentro Hospitalar do Porto, EPE

Objectivo/Introdução
As intussusceções nos adultos, contrariamente ao que ocorre nas crianças, são raras e na maioria dos casos consequentes a uma lesão orgânica. Apresenta-se um caso pouco comum de intussusceção ileocólica no adulto com origem num pólipo fibroepitelial inflamatório que se manifestou como oclusão intestinal completa.

Material e Métodos
Descrição de caso clínico suportada por fotografias e imagens radiológicas.

Resultados
Homem, 60 anos de idade, sem comorbilidades conhecidas, recorre ao Serviço de Urgência com clínica sugestiva de oclusão intestinal completa. Radiografia abdominal simples: níveis hidroaéreos. Tomografia computorizada (TC) abdominal: duas imagens em alvo, compatíveis com invaginação, uma ileocólica e outra ileo-ileal. Foi submetido a laparotomia que revelou: intussusceção ileocólica e estigma de intussusceção ileo-ileal entretanto resolvida espontaneamente. Procedeu-se a resseção ileocecal com anastomose primária. A abertura da peça operatória mostrou, a 5cm do topo de secção cirúrgica ileal, na zona de viragem da invaginação, uma lesão polipoide pediculada de 3cm. A histologia revelou tratar-se de um pólipo fibroide inflamatório.

P147ID: 4905862 - 1970-01-01
TítuloDiagnóstico cirúrgico de carcinoma papilar do quisto do canal tiroglosso (QCT): qual o próximo passo?
AutoresJoão Mendes Louro, Ana Isabel Costa, Carla Quental, António José Ribeiro, Prof. Doutor Carlos Costa Almeida
HospitalCentro Hospitalar e Universitário de Coimbra, EPE

Objectivo/Introdução
O QCT tem uma incidência de 7% na população em geral, e pode apresentar malignidade em 1-2% dos casos, sendo a maioria carcinoma (CA) papilar da tiróide. O diagnóstico é habitualmente um achado histológico após operação de Sistrunk. A atitude terapêutica subsequente é controversa.

Material e Métodos
Análise retrospetiva dos dados clínicos e histo-patológicos, dos QCT diagnosticados no período de 2006 a 2014 no nosso serviço.

Resultados
No período referido foram diagnosticados 10 casos de QCT (7M, 3H), idade média de 42,5A (faixa etária: 19-66A); dimensão média 25,3mm (18-35 mm). Verificou-se a presença de CA papilar da tiróide no QCT em 2 casos (20%) do sexo feminino com 26 e 58A (dimensões 20 e 18mm respetivamente) sem critérios clínicos/imagiológicos de malignidade. Realizada PAAF em apenas um caso de QCT (lesão benigna). Todos foram submetidos a Op. de Sistrunk. Nos casos de CA foi efetuada tiroidectomia total após decisão terapêutica multidisciplinar, apesar de não haver lesões nodulares suspeitas, e mantidos em terapêutica hormonal supressiva.

P147ID: 1676832 - 1970-01-01
TítuloReparação urgente de laceração do canal de Stenon
AutoresJosé Pedro Pinto, Charlène Viana, Ricardo Pereira
HospitalHospital de Braga

Objectivo/Introdução
Os traumatismos faciais podem atingir o canal de Stenon de diversas formas. Este conducto com cerca de 15cm por 3mm de largura contorna o musculo masseter, perfurando o bucinador até ao vestíbulo oral. Lesões não identificadas atempadamente podem gerar complicações graves, como fistulas salivares ou mucocelos. Assim sendo, a reparação precoce destas lesões é fundamental.

Material e Métodos
Relato de caso clínico e revisão de publicações sobre o tema.

Resultados
Homem, 46 anos, admitido na sala de emergência agitado e com laceração traumática na hemiface esquerda, desde a arcada malar até ao nível do bordo anterior do masséter. Apresentava exposição parotídea e hemorragia activa. Submetido a cirurgia de urgência, tendo sido realizada hemóstase e identificação de secção do lobo superficial parotideo com exposição e secção parcial do canal de Stenon. Realizada rafia com vicryl 5-0 e colocação de dreno aspirativo. Pós-operatório sem complicações com alta ao 4º dia. Reavaliado em Consulta Externa revelando boa cicatrização da ferida, sem sinais de infecção ou saída de saliva. Apresentava assimetria da mimica facial, sobretudo na região bucal, sendo referenciado para tratamento fisiátrico.

P174ID: 2109701 - 1970-01-01
TítuloTratamento endovascular de um aneurisma do ramo direito da artéria hepática direita
AutoresAguiar C; Bicho L; Coimbra E.; Marques H.; Martins A.; Barroso E
HospitalCentro Hospitalar Lisboa Central

Objectivo/Introdução
Os aneurismas das artérias digestivas são uma entidade rara (0.1-2%). A etiologia é variável sendo usualmente provocados por aterosclerose. A artéria esplénica é o local mais comum (60%), seguido da artéria hepática(20%) e artéria mesentérica superior (6%). A maioria são assintomáticos, sendo achados em exames de rotina. A ruptura espontânea, quando ocorre associa-se a 30% de mortalidade. Apresentação do caso clínico de aneurisma do ramo direito da artéria hepática direita por tratamento endovascular.

Material e Métodos
Doente sexo feminino, 73 anos, com antecedentes pessoais de HTA, sem queixas. Em exames de rotina aneurisma do ramo direito da artéria hepática direita com cerca de 2x2 cm.

Resultados
Doente submetida a embolização com detachable coils de aneurisma do ramo direito da artéria hepática direita, sem intercorrências. Internamento sem complicações, com alta ao 2º dia pós-op.

P174ID: 2399332 - 1970-01-01
TítuloManifestações Raras de Uma Doença Rara
AutoresCunha, C (1); Costa, J (2); Glória, L (3); Madureira, R (4); Martins, T (5); Oliveira, H (6); Strecht, J (7); Teixeira, J (8); Roque, R (9); Féria, L (10); Maio, R (11).
HospitalHospital Beatriz Ângelo

Objectivo/Introdução
Os tumores neuroendócrinos (TNE) gastro-entero-pancreáticos são um grupo heterogéneo de neoplasias raras, de crescimento lento com localização mais frequente no intestino delgado. São habitualmente pequenos e assintomáticos. Quando sintomáticos, encontram-se geralmente com invasão local ou metastizados.

Material e Métodos
Descrição de dois casos clínicos de TNE do intestino delgado cujas manifestações são raras: hemorragia digestiva e metástase cutânea.

Resultados
Caso 1 - Doente de 58 anos, sexo masculino, internado por melenas, astenia e lipotímia, que apresentava hemoglobina de 5 g/dl e sem lesão identificada em endoscopia alta e baixa. A video-enteroscopia revelou pequena lesão ulcerada no intestino delgado. Efectuou-se exploração cirúrgica, identificação de lesão com 1 cm no jejuno e ressecção segmentar de delgado. A histologia foi compatível com TNE (G2). Caso 2 - Doente de 87 anos, sexo feminino, referenciada por dermatologista por excisão de nevus cutâneo, com o diagnóstico de metastização cutânea de TNE. O estudo complementar revelou TNE no íleon com metastização ganglionar. Realizou-se ressecção segmentar de delgado, confirmando-se o diagnóstico de TNE (G1). Em nenhum dos casos coexistiam sintomas sistémicos, síndrome carcinóide ou alteração do trânsito intestinal. Ambos se mantêm assintomáticos após cirurgia.

P180ID: 2457954 - 1970-01-01
TítuloIcterícia obstrutiva por lesão tumoral da ampola de Vater ? um caso insólito
AutoresA.Oliveira(1), R. Martins(1), M. Tomé (1), M.G. Jorge(1), M.A. Cipriano(2), J.G. Tralhão(1), F. Castro-Sousa(1)
HospitalCentro Hospitalar e Universitário de Coimbra, EPE

Objectivo/Introdução
A icterícia obstrutiva pode ser um desafio diagnóstico persistindo, por vezes, a dúvida entre malignidade e benignidade. Em alguns casos, o diagnóstico definitivo é conseguido após resseção e exame anatomo-patológico da peça. Os autores descrevem um caso de icterícia obstrutiva por metástase de carcinoma da mama na ampola de Vater.

Material e Métodos
Mulher de 74 anos, antecedentes de mastectomia direita em 1989 por neoplasia da mama,diabetes mellitus. Quadro de icterícia obstrutiva, anorexia e perda ponderal nos últimos 2 meses. Realizou TC que relatava "dilatação irregular do Wirsung, nódulo hipodenso com 10mm que comunica com o canal pancreático"; a ecoendoscopia mostrou"ectasia quística do Wirsung a nível da cabeça pancreática"; CPRE sem alterações; a citologia da via biliar referia processo inflamatório esclerosante. Submetida a duodenopancreatectomia cefálica (DPC). O estudo anatomopatológico revelou metástase de carcinoma invasor da mama na ampola de Vater, observando-se tecido tiroideu ectópico (TTE) adjacente ao tumor, na lâmina própria do duodeno.

Resultados
NULL

P180ID: 2932974 - 1970-01-01
TítuloTaxa de malignidade em nódulos Bethesda III
AutoresRibeiro, M; Morais, H; Neves, J; Ferreira, M; Santos, AF, Pinho, J; Vieira, V; Azenha, N; Borges, I; Dias, R; Fonseca, A; Conceição, L; Matos, A; Cecílio, J
HospitalHospital Distrital Figueira da Foz, EPE

Objectivo/Introdução
Estudos recentes sugerem que o risco de malignidade dos nódulos com citologia Bethesda III é superior ao originalmente estimado (5-15%). Objectivo: determinação da taxa de malignidade para carcinoma da tiróide em doentes submetidos a tiroidectomia total ou lobectomia com citologia aspirativa categorizada como Bethesda III.

Material e Métodos
Estudo retrospetivo baseado na consulta do processo clínico de todos os doentes submetidos a cirurgia tiroideia por nódulo tiroideu ou BMN com citologia aspirativa Bethesda III num serviço de Cirurgia Geral. O estudo compreende o período entre 1 de Janeiro de 2007 e 30 de Junho de 2015. Submissão dos dados a análises estatística univariada e multivariada.

Resultados
Estudo retrospetivo baseado na consulta do processo clínico de todos os doentes submetidos a cirurgia tiroideia por nódulo tiroideu ou BMN com citologia aspirativa Bethesda III num serviço de Cirurgia Geral. O estudo compreende o período entre 1 de Janeiro de 2007 e 30 de Junho de 2015. Submissão dos dados a análises estatística univariada e multivariada.

P198ID: 6426284 - 1970-01-01
TítuloHidatidose Hepática - A Propósito de Um Caso
AutoresMachado A.(1), Santos C.(1), Silva A.(1), Antunes S.(1), Ribeiro S., Félix R.(1), Caravana J.(1)
HospitalHospital Espírito Santo, EPE - Évora

Objectivo/Introdução
A hidatidose é uma parasitose causada por Echinococcus granulosus em humanos, sendo as lesões encontradas mais frequentemente no fígado e pulmão. Os quistos hidáticos são normalmente achados ocasionais e assintomáticos, mas podem complicar, causando dor com o seu crescimento, icterícia obstrutiva, colangite ou choque anafilático, no caso de rotura. O objetivo deste trabalho é apresentar um caso clínico de um doente com icterícia obstrutiva / colangite por um quisto hidático do fígado.

Material e Métodos
Doente do sexo feminino de 64 anos com ida ao serviço de urgência por quadro de icterícia obstrutiva complicada com colangite. A ecografia e tomografia computorizada abdominal mostraram lesão compatível com hidatidose de 11.5 x 8.8 cm no seg. IV/V do fígado, a comprimir a via bilar principal e outras estruturas adjacentes.

Resultados
A doente foi inicialmente internada para realizar antibioterapia e colocação de prótese por colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE). Após 4 semanas de terapêutica com albendazol realizou pericistectomia parcial e colecistectomia com colangiografia intra-operatória. Ao 8º dia pós-operatório (PO) removeu prótese da via biliar por CPRE e teve alta ao 13º dia PO clinicamente bem. Até à data, a doente encontra-se assintomática e sem evidência de recidiva.

P198ID: 2926167 - 1970-01-01
TítuloA propósito de um caso clínico, realçar a observação do pé diabético
AutoresCatarina Aguiar; Rita Pinheiro; José Pereira; Tiago Bilhim; Margarida Coelho; Ana Formiga; José Neves
HospitalCentro Hospitalar Lisboa Central

Objectivo/Introdução
A infeção do pé é a principal causa de internamento das pessoas com diabetes e é, provavelmente, a principal causa de amputação major. A intervenção atempada é essencial para reduzir o número de amputações major, mortalidade e impacto sócio-económico. Apresentação do caso clínico de infecção grave em pé diabético

Material e Métodos
Doente sexo masculino, 72 anos, internado através do serviço urgência, em Serviço de Medicina por descontrolo metabólico e leucocitose. Durante uma semana realizou repetidas hemoculturas e ao 8º dia pediram colaboração da Cirurgia, apresentando membro inferior direito com placa de necrose e extensos sinais de celulite pé e perna. Foi enviado ao Serviço de urgência tendo feito drenagem/desbridamento e amputação do 1º dedo com recepção do metatarso. Fez-se colheita de amostras para bacteriologia, e iniciou antibioterapia empírica de largo espetro, hidrodisseção dias alternados com soro e octenidina, aplicação de penso com Pressão Local Negativa. Entretanto realizou angiografia diagnóstica e terapêutica urgente num mesmo tempo.

Resultados
Conservação de membro funcional com autonomia do doente.

P213ID: 1977323 - 1970-01-01
TítuloPólipo vesicular: Indicação para cirurgia? A experiência do serviço de Cirurgia 2 do CHTV
AutoresManuela Fernandes, João Vicente, Júlio Marques, Pedro Caldes, Gina Oliveira, Maria João Ferreira, Mafalda Couto, Rita Loureiro, Horta Oliveira
HospitalCentro Hospitalar TondelaViseu, EPE

Objectivo/Introdução
Os pólipos vesiculares (PV) são cada vez mais frequentes, principalmente como achados ecográficos. Existindo alguns estudos na literatura que referem que estas lesões poderão ser malignas a terapêutica cirúrgica é aconselhada, mas sem critérios consensuais.

Material e Métodos
Estudo retrospectivo dos doentes do serviço de Cirurgia 2 do CHTV com pólipos vesiculares identificados em ecografia, sem características ecográficas de malignidade, que foram submetidos a colecistectomia de 01/2008 a 09/2014.

Resultados
Foram incluídos 75 doentes. A idade média foi de 50,4 ± 12,2 anos, 64% eram do sexo feminino. O tamanho médio dos PV na ecografia foi de 7,7 ± 4,0mm, com 12% a apresentarem mais de 10mm. A histologia confirmou a presença de PV em 80% dos casos, com tamanho médio de 4,1 ± 1,5mm, PV únicos em 21,8% e litíase associada a PV em 22,7% dos casos. Todos os pólipos foram benignos (56 de colesterol, 2 adenomiomas, 2 hiperplásicos e 1 adenoma). Todos os doentes, à excepção de um, foram operados por via laparoscópica e o internamento decorreu sem intercorrências na totalidade dos casos.

P213ID: 2550366 - 1970-01-01
TítuloHérnia inguinal mas não só?
AutoresPatrícia Amaral, Octávio Viveiros, João Sacadura Fonseca (1), Jorge Morales (2), José Domingos Vaz (1)
HospitalHospital da Ordem Terceira

Objectivo/Introdução
A hérnia inguinal é uma entidade comum, de diagnóstico essencialmente clínico, sendo a sua reparação um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados no âmbito da Cirurgia Geral. O diagnóstico diferencial é múltiplo e inclui a patologia urológica e vascular.

Material e Métodos
Apresenta-se caso clínico de doente de 73 anos, sexo masculino, com hérnia inguino-escrotal esquerda de grandes dimensões e longo tempo de evolução, internado para tratamento cirúrgico electivo. Durante o procedimento cirúrgico confirmou-se a existência de hérnia inguino-escrotal, com componente de deslizamento de cólon sigmóide. Após redução herniária observou-se volumoso tumor escrotal (20cm), aderente ao saco herniário, heterogéneo, consistência pétrea, de origem indeterminada e que envolvia o testículo e o cordão espermático. Optou-se por orquidectomia seguida de hernioplastia de tipo Lichtenstein.

Resultados
A anatomia patológica revelou lipossarcoma bem diferenciado do cordão espermático com 18x10x10cm (pT2b).

P244ID: 1784394 - 1970-01-01
TítuloAbcesso intra-abdominal por fecalito retido após apendicectomia aberta - Caso clínico
AutoresMariana Costa; Ana Marta Pereira; Florinda Cardoso; Gil Gonçalves; Mário Nora
HospitalCentro Hospitalar Entre Douro e Vouga, EPE

Objectivo/Introdução
Um abcesso intra-abdominal causado por um fecalito é uma complicação rara após apendicectomia (AP). É mais frequente após AP laparoscópica que na AP aberta. A sua incidência tem aumentado devido à crescente utilização da laparoscopia. Apresentamos uma caso clínico de um abcesso cujo fecalito foi removido 4 anos após apendicectomia.

Material e Métodos
Estudo retrospectivo baseado na consulta do processo clínico do doente.

Resultados
Sexo masculino, de 63 anos, apendicectomizado (via aberta) em Agosto/2010, complicado com infeção da ferida operatória. Aproximadamente um mês após a cirurgia é internado por abcesso intra-abdominal. Realizada drenagem parcial com pigtail, tendo sido necessária laparotomia exploradora para sua drenagem completa. Restante internamento sem intercorrências. Em Setembro/2014 recorre novamente ao SU por febre e dor abdominal. Realizada TAC abdominal-pélvica: "na FID, área hipodensa (~8x5cm)com nível hidro-aéreo e densidade cálcica...múltiplas adenomagalias regionais...lesão tumoral com abcesso?". Laparotomia exploradora com constatação de abcesso inter-ansas, que foi drenado, e material calcificado no interior (Histologia: apendiculito calcificado). Restante internamento sem complicações, tendo o doente alta ao 5ºdia pós-operatório.

P244ID: 1364935 - 1970-01-01
TítuloLeucemia linfocítica crónica mimetiza quadro clinico de apendicite aguda - A propósito de um caso clínico
AutoresRita da Silva, Carla Vicente, Ana Crespo, Vasco Vasconcelos, Novo de Matos, Caldeira Fradique
HospitalCentro Hospitalar Lisboa Central

Objectivo/Introdução
A Leucemia Linfocítica Crónica (LLC) caracteriza-se por uma acumulação progressiva de linfócitos B monoclonais funcionalmente incompetentes. Representa cerca de um terço de todas as leucemias, sendo a mais comum nos adultos. Relata-se um caso de um doente com LLC, com apresentação clinica semelhante a apendicite aguda.

Material e Métodos
Homem de 72 anos,observado por quadro de dor abdominal na FID,com cerca de 36h de evolução.Trata-se de um doente com diagnóstico de LLC,sob corticoterapia. Ao exame físico apresentava abdómen móvel,depressível,doloroso à palpação profunda da FID,sem sinais de irritação peritoneal.Laboratorialmente apresentava leucopenia,trombocitopenia e aumento ligeiro da PCR,sem outras alterações de relevo. Realizou TAC abdóminopélvica que demonstrou na fossa ilíaca direita densificação cecal com aparente imagem de hidroaéreo de 3.5cm,suspeita de abcedação local eventualmente por apendicite aguda. O doente foi submetido a apendicectomia. O internamento decorreu sem intercorrências,com melhoria clinica,tendo tido alta ao sexto dia de pós-operatório. A anatomia patológica demonstrou gânglio linfático com 1.5cm de maior dimensão,consistente com infiltração por linfoma linfocítico/leucemia linfocítica crónica,sem alterações do apêndice ileocecal.

P271ID: 1143658 - 1970-01-01
TítuloTentativa de suicídio: quando duas lesões potencialmente fatais se tornam inconsequentes
AutoresHugo Maciel Ribeiro, Filipa Santos, Henrique Morais, Jessica Neves, João Pinho, Vera Vieira, Nuno Azenha, Isabel Borges, Alice Fonseca, Amândio Matos, Lucília Conceição, Raquel Dias, José Mário Cecílio
HospitalHospital Distrital Figueira da Foz, EPE

Objectivo/Introdução
No doente politraumatizado, tanto o traumatismo torácico como o traumatismo crânio-encefálico constituem duas importantes causas de morbilidade e mortalidade.

Material e Métodos
Relatamos o caso de um doente do sexo masculino, de 33 anos de idade, trazido pela equipa do INEM ao Serviço de Urgência por duas lesões perfurantes auto-infligidas. Uma das lesões a nível da face anterior esquerda do tórax por arma branca perfuro-cortante com uma profundidade de aproximadamente 8cm e outra lesão a nível da transição parieto-occipital esquerda por arma perfuro-contundente. O doente foi submetido a uma toracotomia antero-lateral para extracção da arma branca em segurança. Intra-operatoriamente verificou-se que a arma se encontrava alojada a nível da cisura oblíqua e em contacto com o pericárdio, mas sem laceração destes órgãos. Após estabilização, o doente foi transferido para outro hospital ao cuidado da Neurocirurgia. Realizou TAC crânio-encefálica sem alterações e a arma branca foi posteriormente removida sem intercorrências. O doente regressou ao hospital de origem ao nono dia pós-operatório e teve alta dois dias depois clinicamente bem.

Resultados
NULL

P271ID: 2348547 - 1970-01-01
TítuloQuisto mesentérico como causa rara de dor abdominal
AutoresValente, S; Ramires, A; Nunes, JL; Mendes Almeida, J
HospitalCentro Hospitalar de Lisboa Norte, EPE

Objectivo/Introdução
Os quistos mesentéricos são lesões raras, com incidência de 1/ 100 000 a 250 000 das admissões hospitalares. A etilogia é pouco conhecida, havendo várias teorias desenvolvidas para explicar a sua origem. Geralmente tem caracter benigno e podem ser encontrados em qualquer parte do mesentério intestinal, com maior incidência no íleum e cólon ascendente. A apresentação clinica é variável e inespecífica, dependendo do seu tamanho e localização. A maioria é assintomática, mas pode apresentar-se como dor abdominal crónica, massa abdominal, náuseas ou vómitos ou como abdómen agudo. O diagnóstico pré operatório é difícil, podendo ser estabelecido com ecografia, TC ou RMN.

Material e Métodos
Apresentamos o caso de uma mulher que recorre ao SU por dor na FID com 1 dia de evolução, sem febre ou outros sintomas. Analiticamente bem; ecografia e TC abdominal revelaram formação quística sem planos de clivagem com o cólon ascendente. Operada eletivamente, identificou-se lesão quistica do mesocólon ascendente, sendo realizada excisão da mesma. Teve alta ao 2º dia pós operatório. A anatomia patológica revelou quisto mesentérico com origem mesotelial. A doente encontra-se assintomática.

Resultados
NULL

P297ID: 1113143 - 1970-01-01
TítuloA eterna surpresa no diagnóstico da dor na fossa ilíaca direita
AutoresMJ Ferreira, G Oliveira, M Fernandes, M Couto, R Loureiro, S Coelho, H Oliveira
HospitalCentro Hospitalar TondelaViseu, EPE

Objectivo/Introdução
A endossalpingiose define-se pela presença de epitélio tubar em localização ectópica. A localização mais frequente é o ovário, mas pode ocorrer no colo uterino, bexiga, apêndice e mais, raramente, no peritoneu. A sua incidência e etiologia não estão bem definidas e o seu achado é incidental na maioria dos casos. A clínica inclui dor pélvica e infertilidade.

Material e Métodos
NULL

Resultados
Caso clínico: Doente do sexo feminino de 42 anos de idade observada em consulta por dor abdominal contínua na FID, com alguns meses de evolução. À palpação apresentava dor e massa palpável na FID. Controlo analítico sem alterações. TC abdomino-pélvica: formação de conteúdo hídrico com 38mm, bem delimitada, sem parede, sem calcificações ou componente sólido, em íntima relação com a parede do cólon ascendente, provável quisto de duplicação entérico. Colonoscopia sem alterações. Proposta para hemicolectomia direita laparoscópica. Intra-operatoriamente: lesão quística sem relação com o cólon mas na dependência do peritoneu parietal. Submetida a excisão do quisto. Boa evolução com alta em D1 pós-operatório. Exame histológico da peça revelou tratar-se de lesões de endossalpingiose.

P297ID: 5852022 - 1970-01-01
TítuloIleus biliar - uma causa incomum de obstrução intestinal
AutoresRui Cunha, Sofia Jardim Neves, Tobias Teles, Guillermo Pastor, Miguel Semião
HospitalCentro Hospitalar Cova da Beira, EPE

Objectivo/Introdução
O Ileus biliar é uma causa importante de obstrução intestinal, pouco frequente (

Material e Métodos
J.B.S., masculino, 81 anos, com antecedente de colecistite aguda litiásica, tendo recusado colecistectomia devido a comorbilidades. De referir também herniorrafia umbilical recente, em contexto de hérnia encarcerada. Internado por quadro suboclusivo, com uma semana de evolução, de etiologia a esclarecer. Durante o internamento, realizou TAC abdominal que revelou quadro compatível com obstrução intestinal por cálculo biliar junto à válvula ileocecal. Foi submetido a enterotomia com remoção do cálculo tendo no pós-operatório complicado com retenção urinária e pequena deiscência da ferida operatória. Teve alta clinicamente bem, orientado para consulta de cirurgia geral, à qual faltou.

Resultados
NULL

P321ID: 1636190 - 1970-01-01
TítuloMeningoencefalite: Complicação Rara dum Quisto Branquial Infectado
AutoresMaria João Lima, Joana F. Correia, Rita Peixoto, Daniela Macedo Alves, Rosa Saraiva, Jorge Valverde, Virgínia Soares, Pedro Koch, Taveira Gomes
HospitalUnidade Local de Saúde de Matosinhos, EPE

Objectivo/Introdução
Os quistos branquiais resultam de anomalias durante o desenvolvimento embrionário, por ausência de obliteração das fendas branquiais. Os quistos da 2ª fenda são os mais frequentes (95%) e raramente são diagnosticados na infância.

Material e Métodos
Apresentamos o caso dum homem de 56 anos que recorreu ao serviço de urgência por tumefacção na região látero-cervical esquerda, dolorosa, fixa, consistência dura e crescimento rápido (2 semanas). A ecografia e tomografia cervicais descreveram volumosas massas (6 cm) de contornos lobulados e conteúdo espesso, sugerindo lesões quísticas.

Resultados
Foi realizada aspiração, com saída de conteúdo quístico. Por agravamento clínico e analítico, foi internado e realizada drenagem cirúrgica. Ao 5º dia de pós-operatório, sob meropenem, apresentou episódio de cefaleias e convulsão tónico-clónica generalizada, como apresentação inicial dum quadro de meningoencefalite. Teve alta ao 18º dia após a drenagem e foi submetido a exérese do quisto branquial após 2 meses.

P321ID: 7644864 - 1970-01-01
TítuloPerfuração cólica durante uma cesariana por Endometriose
AutoresMarta Martins, André Magalhães, Ana Catarina Longras, Diana Brito, Ana Cristina Carvalho, Vânia Castro, Hugo Mesquita, Marina Oliveira, José Monteiro, José Pinto Correia
HospitalCentro Hospitalar do Alto Ave, EPE

Objectivo/Introdução
A endometriose é uma doença que afeta a mulher em idade reprodutiva, sendo caracterizada por implante e crescimento de tecido endometrial (glândulas e/ou estroma) fora da cavidade uterina. Tem sido observada em 5 a 10% das doentes submetidas a laparotomias ginecológicas, 20 a 50% das mulheres com infertilidade e 60 a 70% das portadoras de dor pélvica crónica. Podemos encontrar doentes assintomáticas até quadros de dor pélvica intensa, sintomas decorrentes de lesão em órgãos não reprodutivos e infertilidade

Material e Métodos
Descreve-se o caso clínico de uma mulher que no decorrer de uma cesariana gemelar detetou-se necrose e perfuração do cólon sigmóide.

Resultados
Mulher de 35 anos, com antecedentes de infertilidade, gravida com gestação gemelar de 35 semanas por fecundação in vitro, foi admitida no Serviço de Urgência por dor abdominal. Realizou analises que mostraram marcadores inflamatórios aumentados. Foi internada por suspeita de cólica renal, nesse mesmo dia iniciou trabalho de parto, tendo sido submetida a cesariana segmentar transversal. Durante o procedimento constatou-se uma área de necrose segmentar do cólon sigmóide. Foi contactada a Cirurgia Geral que optaram por uma colectomia segmentar do colon sigmóide com anastomose primária. O pós-operatório decorreu sem intercorrência. A histologia revelou endometriose.

P342ID: 2402629 - 1970-01-01
TítuloInvaginação íleon-ileal em doente com Síndrome de Peutz-Jeghers ? A propósito de um caso clínico
AutoresSílvia Silva; Nádia Tenreiro; Luís Madureira; Fernando Próspero; José Lage
HospitalCentro Hospitalar Cova da Beira, EPE

Objectivo/Introdução
O Síndrome de Peutz-Jeghers (SPJ) é uma doença autossómica dominante rara, caracterizada pela presença de pólipos hamartomatosos gastrointestinais, pigmentação mucocutânea e aumento do risco de neoplasias.

Material e Métodos
Apresenta-se o caso clínico de um homem de 52 anos admitido com quadro de oclusão intestinal secundária a invaginação intestinal.

Resultados
Doente com história de dor abdominal fixa com meses de evolução, associada a anorexia, perda de peso e obstipação recente. Agravamento recente da dor abdominal,com náuseas e vómitos associados. Sem transito para gases e fezes. Apresentava dor à palpação dos quadrantes inferiores do abdómen e massa palpável no quadrante inferior direito. Realizada Tomografia computadorizada (TC) que revelava imagem de invaginação entero-entérica, com distensão do intestino delgado a montante. Submetido a lapatotomia exploradora, onde se identificou invaginação íleon-ileal com 25 cm de extensão, duas neoplasias palpáveis, com extenso edema da parede. Realizada redução da invaginação intestinal, enterectomia segmentar de cerca de 70 cm e enterostomia. A histologia revelou a presença de 5 lesões polipóides no segmento de íleon enviado, compatíveis com pólipos hamartomatosos -Síndrome de Peutz-Jeghers.

P363ID: 2953803 - 1970-01-01
TítuloGIST fora de órgão
AutoresSusana Rodrigues, Alexandra Pupo, Luisa Quaresma, Gualdino Silva, Guedes da Silva, Caldeira Fradique
HospitalCentro Hospitalar Lisboa Central

Objectivo/Introdução
Os tumores do estroma gastrointestinal (GIST) são os tumores mesenquimatosos mais frequentes do tubo digestivo. Os tumores do estroma estra gastrointestinal (EGIST) são tumores mesenquimatosos que tem origem fora do trato gastro-intestinal com manifestações clinico-patologicas e perfil molecular idêntico ao dos GIST. Os locais mais comuns de ocorrência destes tumores são o epiploon, mesentério, retroperitoneu e fígado.

Material e Métodos
Doente do sexo feminino, 76 anos de idade. Aumento progressivo do volume abdominal desde Julho/2014. A TC mostrou lesão retroperitoneal com 16x10x22cm, sem origem nos órgãos adjacentes.

Resultados
Foi submetida a ressecção de massa retroperitoneal no dia 9 de Outubro de 2014, tendo o pós operatório decorrido sem intercorrências. A doente teve alta ao 5º dia de pós operatório. A histologia mostrou tratar-se de um tumor do estroma extragastrointestinal, CD 117 (c-KIT) positivo.

P377ID: 6449206 - 1970-01-01
TítuloAdenocarcinoma do Intestino Delgado
AutoresRui Cunha, Sofia Jardim Neves, Tobias Teles, Miguel Semião, Guillermo Pastor
HospitalCentro Hospitalar Cova da Beira, EPE

Objectivo/Introdução
Introdução As neoplasias do intestino delgado são raras. Os adenocarcinomas constituem 50% dos tumores malignos do delgado, com o pico de incidência na 7ª década de vida. Os sintomas são inespecificos podendo ocorrer obstrução intestinal e hemorragia. O diagnóstico é muitas vezes tardio por falta de suspeita clínica, pela baixa frequência e inespecificidade clínica. O tratamento é essencialmente cirúrgico. O prognóstico depende do estadio no diagnóstico. Caso Clinico JADM, homem, 59a, Défice de Factor X, seguido em Gastroenterologia por adenoma da papila de Vater excisado em 2012, diagnosticado por episódios de hemorragia digestiva alta. Por recidiva local foi submetido a excisão em 2013. Por novos episódios de hemorragia sem lesão da papila, realizou cápsula endoscópica que revelou tumor na transição jejuno-ileon. A TC abdominal corroborou o diagnóstico, sendo encaminhado para consulta de Cirurgia, onde foi proposta cirurgia. Foi submetido a Ressecção Segmentar de Intestino Delgado, não se identificando adenopatias ou outras lesões. Pós-operatório sem intercorrências. A Anatomia patológica revelou Adenocarcinoma moderadamente diferenciado pT3N0R0. Conclusão As neoplasias do intestino delgado são raras, sendo necessário um elevado índice de suspeita para o diagnóstico e tratamento atempados. Este caso mostra que apesar de por vezes já existir um diagnóstico, devemos considerar outras opções e direccionar o estudo como se o doente estivesse a ser estudado pela 1ª vez.

Material e Métodos
NULL

Resultados
NULL

P397ID: 2824204 - 1970-01-01
TítuloTERAPÊUTICA DE OCLUSÃO INTESTINAL: LAPAROSCOPIA
AutoresMorgado M, Queimado H, Ramos L, Rodrigues F.
HospitalHospital de Vila Franca de Xira

Objectivo/Introdução
Os bezoares resultam da acumulação de materiais não digeridos no lúmen do tubo digestivo. São classificados de acordo com a sua composição. Fitobezoares são compostos por matéria vegetal e são o tipo mais frequente. Entre os factores de risco destacam-se as alterações da anatomia e/ou motilidade do tracto gastrointestinal, ausência de dentição e ingestão abundante de alimentos ricos em fibras. Quando presentes podem estar associados a inúmeras complicações como oclusão intestinal.

Material e Métodos
Doente do sexo feminino de 63 anos de idade, que recorreu ao SU por dor e distensão abdominal, vómitos e náuseas com início no próprio dia, e ao EO apresentava abdómen doloroso à palpação mas sem reacção peritoneal. Analiticamente destacava-se leucocitose e neutrofilia ligeira. O Rx simples do abdómen em pé mostrou distensão intestinal e a ecografia abdominal superior revelou sinais de provável oclusão/sub-oclusão, confirmada posteriormente por tomografia computorizada abdominal que sugeriu bezoar impactado no íleon. Optou-se por laparoscopia exploradora, com remoção de fitobezoar do íleon e resolução da oclusão intestinal por laparoscopia (vídeo).

Resultados
NULL